Exposição: o dado da diferença

This slideshow requires JavaScript.

A partir da proposição editorial da 02 Edição da Kultur, temos o prazer de trazer a obra da artista plástica paulistana Daniela El Hage para nossa galeria digital. Em uma composição que remete à representação de um corpo sem limite determinado, a artista coloca em xeque a própria concepção do uno: da divisão fabricada entre um eu e o outro e entre um eu e natureza.

Dentro de um espectro da linguagem, o questionamento é ontológico: Que é o corpo, senão um conjunto de pretenso sentido?

Urgem então no seio de uma significação estética as formas que sem uma “pele” formatada remetem sempre ao movimento; o espectador tem essa sensação de corpos que se unem e se cindem, mas num aspecto continuo de movimento, tão difícil de representar na escultura. Entre tais possibilidades, escolhemos o título “O dado da diferença” exatamente pela alusão que concerne ao traço, à marca que produz a subjetivação de cada sujeito. Assim como as madeleines de Proust, cada traço que habita o corpo de um sujeito é carregado de significação e historicidade, pensamos que tal obra coloca o espectador em contato com essa reflexão.

Aproveite para contemplar essa composição que temos a honra de expor aqui.

Daniela El Hage é formada em Artes Plásticas com especialização em Revista 1Comunicação Visual (FAAP). Tem predileção por escultura: sua prodigiosa obra envolve argila, papel, bordado, crochê, bronze e mármore; É nossa convidada na 02 Edição da revista com obra exposta em nossa Galeria Digital Kultur.

Advertisements